Pesquisar este blog

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Os Belli

Família Belli 

HISTÓRICO
Destino: Brasil


O nome BELLI tem origem na região do Tyrol. A Itália teve dificuldade :seu território, depois do Império Romano, foi ocupado por muitos povos sob fortes poderes políticos e religiosos. Criada como nação em 1860, com a exclusão da Áustria de Nápoles ( por Garibaldi).

O ramo da família Belli ao qual pertence Moisés Neto chegou ao Brasil com Felice de Belli*, que chegou a Paraíba para trabalhar como vendedor e enriqueceu a custo de muito trabalho. Tornou-se Cônsul da Itália na Paraíba casando-se com Henriqueta da Silva gerou os filhos: Nicola, Felice Júnior, Dante e Beatriz(gêmeos), Carmela, Elvira, Júlia, Galileu e o caçula Deocleciano (avô de Moisés Neto).



O marido de Carmela, João Petrucci, possuiu uma das primeiras lojas de automóvel do Brasil. Tia Elvira casou com um italiano da família Grizzi- ele morreu e ela casou com Braz, irmão dele.

Há que se destacar que dois tios de Moisés, os escritores Osíris e João de Belli, paraibanos, eram poetas e que alguns membros desta família estavam envolvidos com o teatro na capital da Paraíba.

Aniversário de Diomar de Belli


 Felice de Belli (napolitano), pai de Diomar de Belli, Therezinha de Belli e Henriqueta de Belli. Ariosto de Belli (primo das três), era funcionário do Banco do Brasil, já falecido, que, pelo que ouvimos de nossos pais, era sobrinho de Maria Angélica.  Conforme nos informou recentemente Lucas de Belli, neto de Ariosto, Felice de Belli migrou para o Brasil por volta de 1880-1890 (portanto pelo menos sete anos antes de Giuseppe e Maria Angélica), trazendo o filho, Nicola de Belli, ainda pequeno.  Nicola veio a casar-se com Antonia da Franca Ramiro com quem teve nove filhos, um dos quais era Ariosto de Belli (todos esses dados já constam da árvore genealógica disponível neste site). Há também Djalma, que foi morar no Rio Grande do Sul e é pai de Pedro Ivo e Felice.

Os Belli na Paraíba: Bisavós, avó e tias de Moisés Neto
(Diomar e Henriqueta à frente)
Esta foto foi tirada na Ilha da família (PB)
Mas voltemos à história: eles partiram do porto de Gênova, em 08/03/1897 (pouco mais de uma semana após a data de emissão do passaporte de Maria Angélica: 25/02/1897), a bordo do Vappore BEARN, com destino ao Porto de Santos, Brasil, o qual contava então apenas 5 anos de existência (o Porto de Santos foi inaugurado em 2/02/1892).


Moisés Neto, em Florença

HISTÓRICO
A História da Família


1758
Nasce  Pietro “Mezzana” Belli, trisavô de Giuseppe Antonio Mezzano Belli.

1769
em 9 de março nasce Giovanni Antonio Belli, futuro tabelião e prefeito de San Vito di Cadore.
1783
Nasce Giovanni Battista Belli, avô de Giuseppe Antonio “Mezzano” Belli.
1792
Nasce Giovanni Battista Belli, avô de Maria Angélica Belli, que será chamado “il Vecchio”.
1794
Nasce Domenica Ossi, di Natale, futura esposa de Giovanni Battista Belli e mãe de Celeste Belli.
Nasce Lucia Palatini, avó de Maria Angélica Belli, que irá casar-se com “il Vecchio”.
1809
Invasão dos franceses: o tabelião Giovanni A. Belli, de Serdes, é prefeito e defende como pode os sanvitenses dos maus tratos e da opressão.
1814
Avalanche repentina do Antelao (21 de abril) sobre os bairros de Taulén e Marceana: 257 mortos.
1818
Abre-se a primeira escola pública, chamada Elementar Inferior.  São admitidos somente alunos do sexo masculino.  Assim quer a ÁUSTRIA.
1820
Nasce Celeste Belli
1822
Borca, Caucia e Villanova são separadas de S. Vito para formar a nova comuna de Borca de Cadore.  O tabelião Giovanni Antonio Belli lavra os atos de separação.
1823
Nasce Giovanni Baptista Belli, pai de Maria Angélica Belli.
1830
Em 10 de maio nasce Maria Rachele Belli, futura esposa de Celeste Belli 
1833
Morre Giovanni Battista Belli, pai de Celeste Belli.
1842
Morre Pietro “Mezzana” Belli, nosso tataravô, pai de Giovanni Battista Belli.
1846
O papa bellunense Gregório XVI separa o Cadore da diocese de Udine agregando-o à diocese de Belluno.  Fim de uma época.
1848
Em Chiapuzza (2 de maio) batalha entre austríacos e os voluntários de Pier Fortunato Calvi.  Morre um sanvitense: Bortolo De Sandre.
1849
Morre Lucia Palatini, avó de Maria Angélica Belli.
1850
em 17 de agosto morre o tabelião Giovanni Antonio Belli.
1859
Morre Domenica Ossi, di Natale, nossa bisavó.
1861
em 23 de janeiro nasce Antonio Giuseppe “Mezzano” Belli, filho de Celeste e de Maria Rachele.
1863
Matteo Ossi Polonia sobe sozinho, pela primeira vez, o Antelao.
1866
Vai-se a Áustria.  Chegam os Savoia, os Carabineiros Reais, a Guarda Alfandegária e a Aduana “Velha”. 
1870
é aberta a primeira escola elementar feminina.
1880
em 5 de janeiro nasce Maria Angélica Belli
1882
no outono uma enxurrada tremenda leva embora todas as pontes sobre o rio Boite; quatro serrarias e três moinhos desaparecem, um deles da família Belli de “chi de Andel”.   

1886
morre Celeste Belli

1887
é fundada a Sociedade dos Bombeiros Voluntários, com fanfarra, agregada à Federação dos Bombeiros Cadorinos.  

No início do século chega a Paraíba Felice de Belli, que será pai de Diomar de Belli, avó do escritor recifense  e Doutor em Letras pela UFPE  Moisés Neto.Sabemos também da existência de Ariosto de Belli, funcionário do Banco do Brasil, já falecido, que, pelo que ouvimos de nossos pais, era sobrinho de Maria Angélica. 
Henriqueta e diomar de Belli (tia e avó de Moisés Neto) 
no quintal da casa de Elvira de Belli, em João Pessoa

Dante e Petrarca de Belli (tios de Moisés Neto, professor e dramaturgo recifense)
Célio de Belli e Célia (mãe do escritor recifense Moisés Neto)




* Felice di Belli, bisavô do escritor Moisés Neto,  foi o primeiro agente consular italiano na Paraíba. Chegou ao Brasil com  9 anos de idade.

4 comentários:

  1. Olá, Boa tarde.
    Sou neta de João de Belli, ou seja, sua prima de 2º grau. Apesar de morar na mesma cidade, não nos conhecemos.
    Por acaso você possui a árvore genealógica da família?

    Att,
    Paula de Belli

    ResponderExcluir
  2. Não, caríssima prima. Você é filha de Neda?

    ResponderExcluir
  3. Caro Moisés
    Meu nome é Antônio Lages
    Sou português, mas vivo no Brasil há 60 anos. Faço minha árvore genealógica há mais de 30. Estava tentando encontrar um tio-bisavô do qual não se tinha notícias desde quando ele emigrou para o Brasil. Ontem, achei um anúncio de um jornal da Paraíba, de 1884, informando que ele havia entrado de sócio numa empresa cujo dono era um italiano, Felix de Belli, uma empresa que vendia ferragens. No ano de 1889, encontrei o registro de óbito de Joana, filha desse senhor, e de D.Henriqueta de Belli . O nome daquela empresa era Felix de Belli & Cia. Você saberia dizer se aquela empresa durou muito, porque eu poderia pesquisar isso na Junta Comercial da Paraíba. Abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, não tenho a informação que você deseja. Abraço.

      Excluir